Home Vagas de Emprego Links Contato
Área do paciente
   
Artigo
DIGA NÃO A RUMINAÇÃO

Ruminar, no dicionário Aurélio temos seguinte definição: Mastigar repetidas vezes; remoer: os bovinos e equinos ruminam as ervas dos pastos.Fig. Pensar muito em, refletir com calma e cuidado: ruminar uma idéia.

No entanto a palavra ruminar é derivada da palavra latina ruminari, “mastigar repetidamente”, como uma vaca ruminando ( mastigando) seu alimento. Quando ruminamos, ficamos repetindo em pensmanto ou uma lembrança negativa. Podemos muitas vezes dizer anos mesmos:

·         Não consigo tirar isso da minha mente;

·         Não consigo entender por que isso aconteceu;

·         Eu me pergunto por que isso aconteceu comigo;

·         Porque eu? Isto é tão injusto?

·         O que fiz de errado? Ou, O que eu deveria ter feito?

·         Me sinto tão mal – não consigo deixar de pensar no quanto isso é terrível.

Pesquisas mostram que as pessoas quando ruminam têm, quando surgem problemas, probabilidade muito maior de ficar e se manter deprimidas. As mulheres tem maior probabilidade de ruminar do que os homens.

Quando está ruminando fica concentrado em si mesmo, especialmente em sua tristeza, dor, problema, fracasso, perda, nos seus pensamentos negativos e no seu passado. Fica se queixando para si e eventualmente, para os outros sobre o quanto foi maltratado e o quanto a vida é injusta ou o quanto se sente inútil ou inferior.

Um dos eixos principais da ruminação respalda-se no fato de manter-se focado no problema, exclusivamente enfatizando os aspectos negativos. Fica dragando cada má experiência, sentimento e sensação que sua mente consegue sugar. Em segundo, fica fazendo perguntas que muitas vezes não têm respostas, como: “O que há de errado comigo?”, ou “Por que eu?” , “Por que morreu?”...e aí focando em perguntas que não podem ser respondidas, você se sente confuso e impotente, o que o deixará mais triste. Em terceiro as vezes queixa-se de algo que não buscar resolver : “Não posso acreditar que isso está acontecendo ”. na ruminação você fica encurralado em sua mente.

Quando ruminamos achamos que podemos examinar o passado e finalmente compreendê-lo. Achamos que iremos descobrir por que algo aconteceu e em consequência, nos sentiremos melhor sobre o que quer que tenha nos causado dor e seremos capazes de evitar que isso se repita.  Alguns de nós ruminam porque não confiam em suas próprias lembranças, acham que poderão finalmente reconhecer um detalhe crucial que deixaram passar e que dará sentido ao ocorrido e somente assim poderão encerrar o passado. “talvez eu não tenha entendido alguma coisa”.

O que tenho a lhes dizer é, mesmo que ruminem por semanas, seu problema sempre estará correlacionado ao meio ou a alguém. E sendo assim, dificilmente terá respostas, pois muitas vezes não obterá todas as informações que possam ser pertinentes ao contexto e tampouco poderá saber o que o outro está pensando definitivamente. Quase nunca sabemos com certeza por que alguém fez algo. Além disso a ruminação não ajuda a encerrar o caso e seguir em frente, ela o mantém preso no passado. Você está repassando um filme antigo, em vez de criar novas experiências.   Ficamos emperrados, repetindo, fazendo esforços sem resultado e não chegamos a lugar nenhum.

Ao invés de ruminar que tal questionar-se perguntando o quanto sua ruminação o ajudará efetivamente a resolver seu problema. Pergunte-se: “isso realmente irá me ajudar”, “ficarei melhor ou pior se continuar com essa ruminação”

Eis alguns tópicos que poderão lhe auxiliar para evitar ou para de ruminar:

·         Tolere as incertezas. Afinal pense em todas incertezas que já enfrenta diariamente, uma delas pode ser o fato de ao dirigir, jamais saberá se alguém baterá em seu carro naquele dia ou não; Alguns ruminadores acham que ter certeza é um sinal de responsabilidade.

·         Aceite sua própria ambivalência. Todos possuímos sentimentos contraditórios pelo outro hora ou outra, ao tempo que amamos, podemos também querer estar afastados por um momento...que tal aceitar esta mistura de sentimentos como algo natural.

·         Pergunte-se, porque o passado deve fazer sentido no presente? Você pode dizer a si mesmo: “o que aconteceu não faz sentido, vou seguir em frente e deixar isto no passado”. Lembre-se, encerrar o passado é uma opção. Você pode viver a vida agora e assim encerrar o passado.

·         Foque no presente. Procure conhecer novas pessoas, ver mais os amigos, tornar-se mais atraente ( ir a academia, concertos, encontros), foque mais no trabalho, na religião, no lazer, etc.

·         Desvie sua atenção. Quando perceber sua mente ruminando, foque seu olhar nos objetos ao seu redor, perceba cores diferentes, texturas diferentes aromas, formas, utilidade, etc, este exercício simples mas muito funcional já o ajudará a distrair-se, haja visto que somos capazes de pensar apenas em um único estímulo por vez...faça o teste, permita-se mudar a forma de pensar!!

·         Pergunte-se: quando rumino o que estou perdendo na vida?

Fazer progresso em relação à ruminação é a chave para a mudança de processos derrotistas que estimula a sua tristeza, depressão, ansiedade, baixo estado de ânimo, desencadeia processos de adoecimento físico, etc. Pegue a ruminação de surpresa e direcione-se para o momento presente, para o que está acontecendo agora ( o som que está ouvindo, o ambiente onde está, a roupa que está vestindo, as pessoas que estão ao redor, etc), direcione para a ação, para a aceitação e para deixar pra trás. Permaneça no presente e deixe o passado ir embora. E, quando o passado retroceder, tome uma atitude em direção a objetivos que sejam reais, que estejam ao seu alcance e disponíveis hoje.

“Olhar pelo espelho retrovisor somente, não o ajudará a chegar onde quer”.

FORTE ABRAÇO.

Drª Carina Almeida Ramos Medina

Psicóloga Clínica e Organizacional.

 Neuropsicóloga.

Hipnoterapeuta.

Especialista em Terapia Familiar Sistêmica e de Casais.

Especialista em Reabilitação Neuropsicológica.

Personal e Executive Coaching.

www.centrodeterapiaaplicada.com.br

 

 



Compartilhe:
<< Página Anterior

C.T.A. Centro de Terapia Aplicada • Rua Santo Antônio, 264 - Centro -Guararapes/SP • (18) 3406-2096